Com protestos de caminhoneiros exportação e abastecimento de carnes estão em risco, diz ABPA

foto-noticia-exportacao

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) alertou nesta terça-feira que, caso os protestos de caminhoneiros continuem, há risco de falta de produtos para os consumidores, de contratos de exportação serem cancelados e de animais morrerem no campo por falta de insumos.

“Os bloqueios impedem o transporte de aves e suínos vivos, ração e cargas refrigeradas destinadas ao abastecimento das gôndolas no Brasil ou para exportações”, destacou a ABPA em nota, acrescentando que já há relatos de unidades produtoras com turnos de abates suspensos.

“Os prejuízos para o setor produtivo e para o País são incalculáveis”, disse a associação que representa mais de 140 agroindústrias e entidades vinculadas à avicultura e à suinocultura.

Nesta terça, caminhoneiros voltaram a protestar em rodovias federais e estaduais. Na segunda, foram registrados atos em ao menos 20 estados e no DF. A categoria pede a redução do valor do óleo diesel, que tem tido altas consecutivas nas refinarias. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A continuar este quadro, há risco de falta de produtos para o consumidor brasileiro. Animais poderão morrer no campo com a falta de insumos. Já temos relatos de unidades produtoras com turnos de abate suspenso. Contratos de exportação poderão ser perdidos e há um forte aumento de custos logísticos com reprogramação de embarque de cargas. Os prejuízos para o setor produtivo e para o País são incalculáveis.